Novo chefe da Bayer pode investir 17 bi de euros em aquisições

A Bayer pode investir cerca de 17 bilhões de euros (23 bilhões de dólares) em aquisições para ampliar os negócios do grupo em saúde e sementes, afirmou o próximo presidente-executivo da companhia nesta terça-feira, poucos dias antes de assumir a direção do grupo alemão.

LUDWIG BURGUER, REUTERS

28 de setembro de 2010 | 12h08

Acordos na escala da aquisição da rival Schering, por 17 bilhões de euros em 2006, podem ser financiados, afirmou Marijn Dekkers, que vai substituir Werner Wenning na sexta-feira.

O executivo reafirmou seu objetivo de buscar aquisições para fortalecer a divisão de saúde da Bayer bem como a área de sementes geneticamente modificadas.

Mas ele excluiu a possibilidade do grupo ingressar em novas áreas da medicina onde a maior companhia farmacêutica da Alemanha não é especialista.

"Não devemos nos posicionar de maneira muito ampla. Não precisamos ser o maior nome (...) Quando comprarmos algo, será provavelmente ligado a atividades que já desempenhamos", disse Dekkers a jornalistas.

A Bayer figurou na 12a posição entre as maiores fabricantes de medicamentos do mundo em vendas, segundo dados coletados pela empresa de pesquisa de mercado IMS Health.

Wenning definiu o foco da Bayer em pesquisa de medicamentos a quatro áreas: saúde feminina, oncologia, cardiologia e diagnóstico por imagens.

Segundo o executivo, um dos critérios para aquisições será identificar se vão ajudar a Bayer a aproveitar o crescimento dos mercados emergentes, em particular da Ásia.

"Quero aumentar consideravelmente a proporção de negócios que fazemos em mercados emergentes", disse Dekkers.

Tudo o que sabemos sobre:
EMPRESASBAYERINVESTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.