Novo diretor do BC diz que alta de metais é 'impressionante'

Questionado sobre se haveria uma bolha de commodities, ele afirmou que só é possível detectar a existência de uma bolha depois que ela é estourada

Fabio Graner e Fernando Nakagawa,

31 de março de 2010 | 11h50

O novo diretor de Política Econômica do Banco Central, Carlos Hamilton Araújo, disse há pouco que a inflação está subindo no mundo refletindo a retomada a atividade econômica mundial. Segundo ele, a atividade econômica está mais intensa nos países emergentes, onde já se pode falar em "ciclo de expansão", em vez de recuperação.

 

Na entrevista coletiva para comentar o relatório trimestral de inflação, Hamilton destacou a escalada dos preços das commodities e classificou de "impressionante" o movimento de alta dos metais industriais. Questionado sobre se haveria uma bolha de commodities, ele afirmou que só é possível detectar a existência de uma bolha depois que ela é estourada, mas avaliou que, pelo menos em parte, a alta dos preços pode ser atribuída ao maior nível de atividade mundial.

 

Hamilton destacou que alguns países já estão retirando estímulos monetários e fiscais, e alguns já iniciando o ciclo de aperto monetário. Em relação à economia brasileira, Hamilton afirmou que o Brasil foi um dos poucos países em que a inflação acumulada em 12 meses até fevereiro de 2010 ficou acima dos níveis verificados em janeiro de 2008 em 12 meses. Mas ele não soube explicar por que a comparação não é feita com fevereiro de 2008. Ele disse que independentemente disso, o raciocínio é o mesmo.

 

O diretor também destacou que a economia brasileira cresce neste momento utilizando poupança externa e também informou que a taxa de câmbio real efetiva com base em uma cesta de moeda está abaixo da média histórica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.