Novo membro do BC inglês vê risco real de mergulho recessivo

Martin Weale também afirmou que novas elevações no desemprego são 'mais prováveis' do que improváveis

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

24 de agosto de 2010 | 09h38

O mais novo membro do comitê de política monetária do Banco da Inglaterra (BoE), Martin Weale, disse que o Reino Unido enfrenta "significante" risco de um novo período recessivo, e que seria "insensato" descartar a possibilidade de um duplo mergulho.

Em entrevista ao jornal britânico The Times, Weale disse haver maior possibilidade de o crescimento ficar abaixo das projeções do BC do que a inflação superar as previsões. A projeção central do BoE para o PIB é de expansão de cerca de 2,8% em 2011 e de 3,2% em 2012. Mas Weale notou que as projeções contêm vários períodos nos quais há próximo de 10% de risco de contração.

"As previsões embutem uma chance significante de contração da economia durante quatro trimestres - entre agora e o final do horizonte da projeção" em três anos, disse Weale. Ele descreveu tal cenário como um "risco real".

Weale também afirmou que novas elevações no desemprego são "mais prováveis" do que improváveis, mas reconheceu que o mercado de trabalho tem tido um desempenho "enormemente melhor" do que na década de 1980.

No encontro de política monetária de agosto, o comitê manteve inalterado o programa de flexibilização quantitativa por meio da compra de bônus, assim como a taxa de juro no recorde de baixa de 0,5% pelo 18º mês seguido.

Refletindo a visão central do comitê do BoE, Weale disse ver argumentos tanto para um aperto quanto para uma flexibilização da política monetária. Ele destacou que as condições atuais são "muito expansionistas" e que permaneceriam assim mesmo se as taxas de juro fossem elevadas um pouco.

"Vejo os argumentos finalmente equilibrados. É importante lembrar que mesmo que as taxas de juro subam para 0,75%, a política monetária ainda estará extremamente frouxa em relação a qualquer experiência histórica", disse Weale. "As pessoas precisam lembrar que quando o comitê eventualmente der início ao aperto não estará dizendo certamente que a economia não precisa mais de suporte".

Mas ele afirmou que diante da lentidão da economia e do fato que provavelmente o desemprego irá aumentar mais, será difícil ver risco de alta para a inflação. Weale acrescentou que se sente muito confortável com as projeções de elevação dos preços do BoE.

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
BoEBanco CentralInglaterra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.