Novo ministro do comércio do Japão quer reduzir imposto corporativo

'Estudaremos uma redução da taxa em pelo menos 5 pontos porcentuais', disse

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

22 de setembro de 2010 | 10h01

O novo ministro do Comércio do Japão, Akihiro Ohata, disse que seu ministério pretende reduzir os impostos corporativos, atualmente em cerca de 40%, para melhorar a competitividade das companhias locais, apesar do fortalecimento do iene. Em entrevista concedida para a imprensa, Ohata comparou a alíquota de imposto que incide sobre as empresas japonesas as de outros países, que, segundo ele, estão em torno de 25% a 30%.

"Estudaremos uma redução da taxa em pelo menos 5 pontos porcentuais", disse. Ohata foi nomeado ministro da Economia, Comércio e Indústria nas mudanças promovidas no gabinete na sexta-feira passada (17) pelo primeiro-ministro, Naoto Kan. As mudanças seguiram-se à vitória de Kan nas eleições para a liderança de seu partido, o que lhe garantiu confirmação no cargo de primeiro-ministro.

O Ministério do Comércio irá considerar também encorajar a demanda por produtos ecológicos, como veículos elétricos, disse.

Ele também alertou para a possibilidade de os produtores rurais terem sua atividade atingida pelo fechamento de acordos de livre comércio do Japão com outros países, o que provavelmente elevará a importação de produtos agrícolas de menor valor. Mas o ministro prometeu a organização de uma força-tarefa com o Ministério da Agricultura, Florestal e de Pesca para discutir como os produtores rurais podem aumentar sua competitividade.

As informações são da Dow Jones. 

Tudo o que sabemos sobre:
comércioJapãoimposto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.