AP Photo/Jae C. Hong
AP Photo/Jae C. Hong

Novo presidente da Nissan renunciará por pagamento indevido

Hiroto Saikawa, que substituiu Carlos Ghosn no comando da montadora, admitiu ter manipulado data em que receberia bônus e deixará o cargo na segunda, 16; empresa pretende indicar novo nome até fim de outubro

Agências internacionais

09 de setembro de 2019 | 12h58

O presidente executivo da Nissan, Hiroto Saikawa, renunciará após admitir ter recebido remuneração superior à que a empresa lhe devia. Saikawa substituiu o brasileiro Carlos Ghosn, também afastado e posteriormente preso, por suspeitas de uso pessoal de recursos da montadora. 

"Recebi uma retribuição sob uma forma que não corresponde às normas em vigor. Acreditava que era fruto de um procedimento correto", declarou Saikawa à imprensa, segundo a agência de notícias Jiji.

Greg Kelly, ex-funcionário da Nissan preso com Ghosn, disse que Saikawa mudou a data em que receberia seu bônus, para aproveitar a alta nas ações da empresa. Com isso, teria aumentado seus ganhos em cerca de US$ 430 mil (R$ 1,7 milhão).

Saikawa, que assumiu a direção executiva da Nissan em 2017, pediu perdão "pela perturbação provocada" e garantiu que vai devolver o dinheiro recebido indevidamente.

Ele deixará o cargo em 16 de setembro e será temporariamente substituído pelo vice-presidente de operações, Yasuhiro Yamauchi, disse o presidente do conselho da montadora nesta segunda-feira, 9. “Saikawa recentemente indicou sua inclinação a renunciar e, de acordo com seu desejo de passar o bastão para uma nova geração de líderes da Nissan, ele renunciará em 16 de setembro”, disse Yasushi Kimura a repórteres.

A empresa afirmou em comunicado que pretende encontrar um substituto permanente até o fim de outubro.

Tudo o que sabemos sobre:
NissanHiroto Saikawa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.