Paulo Whitaker/ Reuters
Paulo Whitaker/ Reuters

Nubank tem receita por usuário abaixo de pares globais, diz banco UBS BB

A principal comparação é com o russo Tinkoff e com o sul-africano Capitec;. neobanco brasileiro é o mais novo, mas também tem a maior base de clientes

Matheus Piovesana, O Estado de S.Paulo

09 de fevereiro de 2022 | 13h03

O Nubank tem receita por usuário relativamente modesta entre os neobancos de mercados emergentes, mas avançou rapidamente em número de clientes, o que gera expectativas otimistas sobre a rentabilidade futura, avalia o banco UBS BB. Em relatório divulgado na terça-feira, 8, os analistas destacam que a fintech brasileira tem algumas vantagens em relação a pares internacionais, embora elas possam ser diluídas por mudanças regulatórias. A principal comparação é entre o Nubank, o russo Tinkoff e o sul-africano Capitec. Entre os três, o Nubank é o mais novo, mas também tem a maior base de clientes.

Por outro lado, seus pares eram lucrativos desde o começo das operações, e têm maior rentabilização de seus clientes, além de uma carteira de empréstimos mais robusta quando dividida pelos clientes. "O Nu hoje tem a vantagem de não ser um banco registrado, e portanto, ser capaz de operar com mais alavancagem dado que sua densidade de risco é relativamente baixa."

O risco é o de um aperto regulatório, que vem sendo discutido pelo Banco Central. Segundo os analistas, é provável que as maiores fintechs brasileiras sejam submetidas a maior exigência de capital, questão já inserida na avaliação que fazem do Nubank (para o qual recomendam compra).

Na chamada receita média por cliente ativo, o Nubank aufere cerca de US$ 3,40, enquanto o Tinkoff e o Capitec arrecadam, respectivamente, US$ 19,60 e US$ 9, respectivamente. No Brasil, o PagBank, da PagSeguro, obtém cerca de US$ 1 por cliente, estima o UBS, que ressalta que seu foco são transações, e não empréstimos. O Inter tem receita de US$ 4,60 por cliente.

Entretanto, em valor de mercado por cliente ativo, o Nubank também não é um dos primeiros. O UBS estima que cada cliente do neobanco brasileiro é avaliado em US$ 967, contra US$ 1.005 do sul coreano Kakao, US$ 1.028 do Tinkoff e US$ 1.602 do também russo Kaspi.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.