Número de paulistanos satisfeitos com a vida sobe para 47%, diz Irbem

Levantamento indica que 44% dos habitantes da capital paulista notaram uma estabilidade nas condições de vida

Wladimir D'Andrade, da Agência Estado,

20 de janeiro de 2011 | 10h59

Quase metade dos moradores da cidade de São Paulo entrevistados para a segunda edição dos Indicadores de Referência de Bem-Estar no Município (Irbem) afirmou que a qualidade de vida melhorou em 2010. Dos 1.512 entrevistados, 34% perceberam uma pequena melhora e 13% disseram que a vida melhorou muito, perfazendo um total de 47% de satisfeitos. Os números, que foram divulgados hoje pela Rede Nossa São Paulo, refletem um avanço na avaliação do paulistano - a pesquisa anterior, de 2009, mostrou que 42% relataram evolução.

Mas, para 6%, a qualidade de vida em 2010 "piorou um pouco" e 3% afirmaram que "piorou muito". O levantamento indica ainda que 44% dos habitantes da capital paulista notaram uma estabilidade nas condições de vida - na sondagem anterior, 45% haviam afirmado que a vida nem piorou, nem melhorou.

A Rede Nossa São Paulo também perguntou se, "caso pudesse, (o morador) sairia de São Paulo para viver em outra cidade, ou se não sairia de São Paulo". Dos residentes entrevistados, 51% responderam que sim, enquanto 48% disseram que não se afastariam da capital e 1% não soube ou não deu resposta.

Em relação à investigação anterior, anunciada em dezembro de 2009, houve uma mudança nesse índice. Na ocasião, 57% haviam dito que partiriam da cidade, se pudessem. O estudo foi encomendado ao Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope) e aborda 25 temas, entre eles, sexualidade, espiritualidade, consumo, lazer, saúde, educação, meio ambiente, habitação, trabalho e confiança nas instituições públicas. O trabalho de campo foi realizado entre 29 de novembro e 12 de dezembro. 

Mais conteúdo sobre:
Irbemqualidade de vida

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.