Marcello Casal Jr/ Agência Brasil
Marcello Casal Jr/ Agência Brasil

Nunca foi tão rápido abrir uma empresa no Brasil, diz Ministério da Economia

Atualmente, uma pessoa precisa de 1 dia e 16 horas para abrir um negócio, redução de quase 50% em relação há um ano; proliferação das MEIs ajuda na agilização de processos

Célia Froufe, O Estado de S.Paulo

06 de junho de 2022 | 16h01

BRASÍLIA - Nunca foi tão rápido abrir um negócio no Brasil: o tempo para abertura de empresas no País nos primeiros quatro meses deste ano ficou, em média, em um 1 dia e 16 horas, com queda de 8 horas (16,7%) em relação ao terceiro quadrimestre de 2021 (período de setembro e dezembro) e de 1 dia e 13 horas (48,1%) em relação ao mesmo período em 2021. 

Os dados fazem parte do Boletim do Mapa de Empresas do 1º Quadrimestre de 2022, divulgado nesta segunda-feira, 6, pelo Ministério da Economia. O mapa é uma ferramenta com indicadores sobre o quantitativo de empresas registradas no País e o tempo médio necessário para a abertura de negócios. 

De acordo com o documento, Sergipe foi a unidade da federação que apresentou o menor tempo de abertura de empresas neste primeiro quadrimestre de 2022: 15 horas, uma queda de 9 horas (37,5%) em relação ao último quadrimestre de 2021. Entretanto, a Bahia registrou o maior tempo necessário para abertura de empresas no Brasil: 3 dias e 17 horas.

O boletim deu destaque a Aracaju, que conquistou o posto de mais ágil abertura entre as capitais, com tempo médio de 8 horas. No outro extremo, Salvador teve um desempenho pior entre as capitais, com tempo de 4 dias e 18 horas em média para abrir um novo negócio. “Os dados demonstram a assertividade das medidas de simplificação e melhoria do ambiente de negócios implementadas ao longo dos últimos anos”, disseram os técnicos da Economia.

O domínio das MEIs

Do total de empresas ativas no Brasil (19,4 milhões), 69% são de Microempreendedores Individuais (MEIs), ou 13,5 milhões. Das mais de 13 milhões de unidades MEI em funcionamento no Brasil, 1,15 milhão foram abertas no primeiro quadrimestre deste ano, um aumento de 14% em relação aos últimos quatro meses de 2021, mas uma queda de 3,2% na comparação com igual período do ano passado. 

O total de 19,4 milhões de empresas ao fim de abril representa um incremento de 808.243 estabelecimentos abertos no primeiro quadrimestre. Apenas no primeiro quadrimestre deste ano, foram abertas 1.350.127 empresas. No mesmo período, foram fechadas 541.884 empresas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.