NY recupera-se, mas recua no acumulado da semana

Os principais índices de ações norte-americanas subiram nesta sexta-feira, recuperando-se após três dias de perdas conforme os preços do petróleo se estabilizaram.

CAROLINE VALETKEVITCH, REUTERS

25 de fevereiro de 2011 | 19h34

Mas a falta de um alívio mais consistente nas tensões na Líbia ainda pode manter a ponta compradora em xeque.

O Dow Jones avançou 0,51 por cento, para 12.130 pontos. O Standard & Poor's 500 ganhou 1,06 por cento, a 1.319 pontos. O Nasdaq subiu 1,58 por cento, para 2.781 pontos.

O S&P 500 acumulou perda de 1,7 por cento na semana, interrompendo três semanas consecutivas de ganhos. A recuperação desta sexta-feira ocorreu após uma melhora de última hora dos índices na quinta-feira. O movimento mostrou que a ala compradora ainda está pronta para sustentar as ações após a onda de vendas.

Na semana, o Dow recuou 2,1 por cento e o Nasdaq caiu 1,9 por cento.

Analistas têm previsto que o mercado de ações sofra correção, com o S&P somando ganhos de 25,8 por cento desde o início de setembro. O volume de negócios muito reduzido em relação à média levantou preocupações sobre a capacidade das ações de subirem mais.

"Será um caminho tortuoso. Não acho que será somente uma grande correção e pronto. Penso que veremos múltiplas e pequenas correções pelos próximos meses antes que o mercado realmente possa decidir qual será o real impacto causado pelo Oriente Médio", afirmou o estrategista-chefe de mercados do JPMorgan Funds, David Kelly, em Nova York, .

Nesta sexta-feira, os futuros do petróleo tipo Brent subiram 0,8 por cento para 112,23 dólares o barril, afastando-se da máxima em 2 anos e meio de 119,79 dólares o barril, depois que uma fonte afirmou que a Arábia Saudita elevou sua capacidade de produção de petróleo devido aos dias de violência na Líbia.

Somando-se ao tom positivo do dia, a confiança do consumidor norte-americano subiu em fevereiro para o patamar mais alto em três anos, de acordo com uma pesquisa conjunta da Thomson Reuters e Universidade de Michigan.

Com o avanço das ações, o índice de volatividade VIX, medidor das preocupações de Wall Street, teve queda de 9,9 por cento, após três dias de fortes altas.

(Reportagem de Caroline Valetkevitch)

Tudo o que sabemos sobre:
WALLSTFECHAATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.