NY sobe por otimismo com balanços e setor de serviços

As bolsas de valores dos Estados Unidos se recuperaram nesta segunda-feira de uma sequência de quatro dias de perdas, à medida que um otimismo com os lucros prestes a serem divulgados ganhou força.

CAROLINE VALETKEVITCH, REUTERS

05 de outubro de 2009 | 18h02

O mercado também subiu por dados mostrando que o setor de serviços, bastante importante para o país, expandiu-se pela primeira vez desde agosto de 2008.

O índice Dow Jones, referência da bolsa de Nova York, avançou 1,18 por cento, para 9.599 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq subiu 0,98 por cento, para 2.068 pontos. O Standard & Poor's 500 ganhou 1,49 por cento, para 1.040 pontos.

O setor financeiro teve um rali e foi o de melhor desempenho no S&P 500, depois que o Goldman Sachs elevou vários bancos, argumentando que o preço das ações das companhias não refletem seu potencial para lucros. As ações do Wells Fargo & Co ganharam 6,9 por cento.

Analistas disseram que investidores estão esperando que a forte temporada de balanços vista no segundo trimestre continue nos relatórios cuja divulgação começa nesta semana. No período de anúncio de lucros no segundo trimestre, mais de 70 por cento das empresas listadas no S&P 500 superaram as estimativas, o que levou a um rali nas ações.

O índice que mede o desempenho do setor de serviços norte-americano fornecido pelo Instituto de Gestão e Fornecimento (ISM, na sigla em inglês) subiu a 50,9 em setembro, ultrapassando 50, valor que indica expansão, e superando as expectativas. O segmento responde por cerca de 80 por cento da economia dos EUA.

"Somos uma economia de serviços de uma grande extensão, e finalmente ter superado o patamar de 50 é um sinal muito positivo de que as coisas estão melhorando", afirmou Owen Fitzpatrick, chefe do grupo de ações da gerência de fundos privados do Deutsche Bank, em Nova York. "Tivemos um ótimo início de semana com esse número."

Na semana passada, o mercado teve seu segundo período semanal de perdas, após números fracos --entre eles, os relatórios sobre o mercado de trabalho e encomendas à indústria-- ampliarem dúvidas sobre a força da recuperação.

A divulgação dos resultados da fabricante de alumínio Alcoa Inc's na quarta-feira abre de forma preliminar a temporada de balanços do terceiro trimestre. Os papéis da Alcoa avançaram 4,7 por cento.

O Goldman Sachs elevou a recomendação do Wells Fargo para "compra", o que fez as ações deste último avançarem. O índice de bancos KBW ganhou 3,2 por cento, enquanto o índice financeiro do S&P ganhou 3,3 por cento.

Tudo o que sabemos sobre:
WALLSTFECHAATUALIZA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.