Shannon Stapleton/Reuters
Shannon Stapleton/Reuters

Após 8 anos, 'The New York Times' muda comando de sua redação

Joe Kahn, 57 anos, vai suceder Dean Baquet, que estava no cargo desde 2014 e comandou transformação digital do 'NYT'

Redação, O Estado de S.Paulo

19 de abril de 2022 | 10h35

O jornal The New York Times anunciou nesta terça-feira, 19, que está mudando o comando de sua redação após oito anos. O jornalista Joseph F. Kahn, de 57 anos, vai assumir o comando editorial do jornal, em substituição a Dean Baquet, que está no cargo há oito anos. Baquet, de 65 anos, deixa o posto em junho. Ele irá para um novo projeto da companhia, ainda não revelado.

O anúncio foi feito pelo publisher do NYT, A.G. Sulzberger: “Para muitas pessoas, especialmente aquelas que trabalharam com Joe – um jornalista brilhante e um líder corajoso e cheio de princípios –, esse anúncio não deve vir como uma surpresa”, afirmou, em comunicado. “Ele tem um histórico de auxiliar jornalistas a produzir seus trabalhos mais ambiciosos e corajosos”.

No período em que Baquet ficou à frente do NYT, o jornal ganhou 18 prêmios Pulitzer, além de ter transformado sua atuação da edição impressa para a digital. O total de assinantes da versão online passou de pouco menos de 1 milhão, em 2014, para os atuais 10 milhões. Hoje, a publicação tem uma redação de 1,7 mil jornalistas, a maior de sua história.

Carreira

Editor do jornal de sua escola durante o colegial, Joseph Kahn foi também presidente do diário The Crimson, da Universidade de Harvard, antes de se graduar em História em 1987. Posteriormente, voltou à mesma universidade para um mestrado em Estudos Asiáticos e começou a aprender mandarim.

Já em 1989, começou a trabalhar para o The Morning News, escrevendo artigos esporádicos a partir de Pequim. Após a cobertura dos protestos na Praça da Paz Celestial, naquele ano, ele convençou a publicação de Dallas, Texas, a mantê-lo no país como correspondente. Em 1994, ainda no The Morning News, ele foi um dos vencedores do Pulitzer por cobertura internacional.

Quando o prêmio veio, ele já trabalhava no The Wall Street Journal, a partir de Xangai. O jornalista chegou ao NYT em 1998. No jornal, ele cobriu Wall Street e economia até voltar para a China, onde, em 2003, tornou-se chefe da sucursal de Pequim. Em 2006, ganhou outro Pulitzer, ao lado de Jim Yardley.

Em 2008, Kahn voltou a Nova York e, em 2011, foi escolhido como editor de assuntos internacionais. Nos últimos anos, ele já era a segunda figura mais importante na hierarquia da redação.

Tudo o que sabemos sobre:
The New York Timesjornalismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.