Obama assina lei de aumento do limite da dívida

Limite do financiamento do governo federal será elevado em US$ 1,9 trilhão e atingirá US$ 14,3 trilhões

Regina Cardeal, da Agência Estado,

12 de fevereiro de 2010 | 17h11

O presidente norte-americano Barack Obama vai assinar nesta sexta-feira, 12, a lei elevando em US$ 1,9 trilhão o limite do financiamento do governo federal, informou a Casa Branca. O aumento no limite da dívida, aprovado na semana passada pela Câmara dos Representantes, eleva a US$ 14,3 trilhões o total que o governo poderá tomar emprestado e permitirá seu funcionamento no restante do ano.

 

Embora represente dinheiro já gasto pelo Departamento do Tesouro, o aumento ocorre num momento em que os congressistas lutam para convencer os eleitores de que estão tomando medidas para conter o déficit recorde do orçamento, que está a caminho de atingir US$ 1,6 trilhão no ano fiscal em curso, que termina em 30 de setembro.

 

Para abordar os temores em relação ao déficit, a lei que Obama assinará nesta sexta também impõe uma norma que exige que qualquer novo gasto seja compensado por cortes de gastos ou aumento da receita no orçamento. Conhecida como "pay-as-you-go" ou "paygo", a norma vigorou nos anos 1990, a última vez em que houve superávit no orçamento federal. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.