Obama diz que China não fez o suficiente no câmbio

Presidente dos EUA afirmou que a moeda chinesa é um 'problema real e que o país pressionou a China para deixar o yuan subir

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

20 de setembro de 2010 | 15h03

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse que a China não fez o suficiente para permitir a apreciação de sua moeda, o yuan, a poucos dias de se reunir com o primeiro-ministro da China, Wen Jiabao, na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York.

Em entrevista à rede de notícias CNBC, Obama afirmou que a moeda chinesa é um "problema real" e que os Estados Unidos pressionaram o país para deixar o yuan subir. Obama deve se reunir com Wen na próxima quinta-feira.

"Eles disseram sim na teoria, mas na verdade não fizeram tudo o que era necessário ser feito", afirmou Obama, em linha aos comentários feitos na semana passada pelo secretário do Tesouro dos EUA, Timothy Geithner. Os legisladores norte-americanos estão atentos ao câmbio chinês, que, para muitos, está artificialmente subvalorizado, dando ao país uma vantagem comercial competitiva.

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
câmbioienedólarChinaEUAObama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.