Obama está disposto a modificar programas sociais para conter déficit

Presidente dos EUA defendeu seu orçamento de US$ 3,73 bilhões para o próximo ano fiscal

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

15 de fevereiro de 2011 | 14h58

O presidente dos EUA, Barack Obama, disse estar preparado para trabalhar com a oposição para alterar programas relacionados à saúde e à previdência em meio a críticas de que o plano do orçamento da Casa Branca apresentado recentemente não explica como reduzir gastos na área social.

Durante uma entrevista coletiva, Obama defendeu seu orçamento de US$ 3,73 bilhões para o próximo ano fiscal e disse que o plano reduzirá pela metade o déficit dos EUA até o final de seu mandato - compromisso que ele havia assumido durante a campanha eleitoral. Ele acrescentou que o país "não funcionará mais com base no cartão de crédito".

O presidente norte-americano disse também que está preparado para trabalhar "seriamente" com os republicanos para alterar programas como o Medicare e o Medicaid - que garantem assistência médica a pessoas idosas, com baixa renda ou que sofrem de algumas doenças específicas.

Segundo os republicanos, o orçamento de Obama não prevê medidas suficientes para reduzir o déficit fiscal dos EUA, que no atual ano fiscal (2011) deve atingir um recorde de US$ 1,65 trilhão. "(O plano) gasta demais, cria impostos demais e toma empréstimos demais", disse o líder da minoria republicana no Senado, Mitch McConnell, ontem.

As informações são da Dow Jones. 

Tudo o que sabemos sobre:
Obamasaúdeprevidência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.