Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Obama insiste que câmara deve aprovar prorrogação de imposto reduzido

Projeto foi rejeitado nesta terça pela casa, o que obrigaria a uma nova rodada de negociações com o Senado

Renato Martins, da Agência Estado,

20 de dezembro de 2011 | 18h37

WASHINGTON - O presidente dos EUA, Barack Obama, insistiu que a Câmara deve aprovar o projeto de lei que prorroga a redução da contribuição previdenciária dos assalariados por dois meses, que já passou no Senado. Segundo ele, a bancada do Partido Republicano na Câmara está radicalizando ao não apoiar a prorrogação da medida.

"O relógio está rodando. O prazo está se esgotando. Se os republicanos da Câmara se recusarem a votar pelo projeto do Senado, o imposto vai subir dentro de 11 dias", disse Obama a jornalistas ao aparecer de surpresa na sala de entrevistas coletivas da Casa Branca.

Nesta terça-feira, a Câmara rejeitou o projeto com 229 votos contrários e 193 a favor, o que obrigaria a uma nova rodada de negociações entre as duas Casas; o Senado, porém, já entrou no recesso do fim do ano. O presidente da Câmara, deputado John Boehner (Partido Republicano/Ohio), pediu que Obama convoque o Senado a sair do recesso para reiniciar as conversações.

Obama, porém, não aventou a possibilidade de uma convocação. "Neste momento, o acordo bipartidário alcançado no sábado é a única maneira viável de evitar um aumento de impostos em 1º de janeiro", afirmou o presidente. Ele acrescentou que há "uma facção" na Câmara impedindo um acordo, numa referência ao movimento ultraconservador Tea Party.

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
obamacâmaraimposto reduzidoeuacrise

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.