Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Obama nomeará dois nomes para o conselho do Fed

Um professor de finanças da Universidade de Harvard e um ex-executivo de private equity devem ser os indicados pelo presidente para preencher as vagas no BC norte-americano

Andréia Lago, da Agência Estado,

27 de dezembro de 2011 | 15h29

NOVA YORK - O presidente americano Barack Obama vai anunciar nesta terça-feira, 27, que planeja indicar um professor de finanças da Universidade de Harvard e um ex-executivo de private equity para preencher duas das sete vagas no Conselho do Federal Reserve, informou uma autoridade da Casa Branca ao Wall Street Journal.

Os indicados são Jeremy Stein, de 51 anos, um economista que teve uma passagem de cinco meses pelo Departamento do Tesouro e pela Casa Branca nos primeiros meses do governo Obama, e Jerome Powell, 58 anos, que foi subsecretário do Tesouro para finanças domésticas no início dos anos 1990, durante o governo de George Bush. Stein deve ser nomeado para um mandato que terminará em 31 de janeiro de 2018, e Powell para um mandato que vai até 31 de janeiro de 2014.

Se sua indicação for confirmada pelo Senado, Jeremy Stein, que é PhD pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT), aumentaria o número de economistas no conselho do Fed para três. Stein leciona na faculdade de Economia de Harvard desde 2000, e anteriormente foi professor do MIT e da Harvard Business School.

Jerome Powell ocuparia um nicho diferente no conselho do Fed, que ficou sem um diretor com experiência em Wall Street desde a saída, em abril, de Kevin Warsh, que trabalhou no Morgan Stanley. Powell, que é advogado, trabalhou no banco de investimentos Dillon Read & Co, na firma de private equity Carlyle Group and Global Environment Fund e no Bankers Trust. Ultimamente, Powell vinha atuando como aluno visitante no Bipartisan Policy Center, um think tank de Washington.

Ao escolher um democrata e um republicano para as vagas do Fed, Obama está fazendo um esforço para superar o que se transformou em consideráveis obstáculos à aprovação de nomes para o Fed no Senado. Embora os presidentes americanos geralmente indiquem diretores de seus próprios partidos para o Fed, uma indicação democrata-republicana explícita é incomum. A lei exige que algumas agências regulatórias federais - como a SEC - tenham indicações dos dois partidos, mas não existe tal exigência para o Fed.

Em abril de 2010, Obama fez três indicações para o Fed, todas de nomes democratas. Dois nomes foram confirmados, Janet Yellen e Sarah Bloom Raskin. O terceiro, Peter Diamond, um economista do MIT premiado com o Nobel, teve seu nome rejeitado pelo senador Richard Shelby, do Alabama, um republicano que integra o Comitê Bancário do Senado.

Obama ainda precisará indicar um nome para uma nova posição no Fed, criada pela Lei Dodd-Frank, que é a de vice-presidente para política de supervisão e regulação.

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
obamafednomesconselho

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.