Observamos possíveis efeitos secundários de inflação, diz Trichet

Presidente do BCE disse que isso não aconteceu ainda e que as expectativas de inflação não chegaram a níveis alarmantes

Reuters,

26 de abril de 2011 | 07h32

O Banco Central Europeu (BCE) fará o máximo para impedir que os custos elevados de energia e commodities se transmitam a outros preços, disse o presidente do BCE, Jean-Claude Trichet, nesta terça-feira.

Trichet disse que isso não aconteceu ainda e que as expectativas de inflação não chegaram a níveis alarmantes.

"Nós temos riscos de efeitos secundários aqui. Temos que ficar muito alertas para que eles não se materializem", disse Trichet em entrevista a jornais finlandeses Kauppalehti e Helsingin Sanomat.

"No momento, eu não vejo nenhum efeito secundário se materializando e não vejo uma falta de ancoragem nas expectativas de inflação. Mas não é o momento para complacência. Nós temos que ficar permanentemente alertas para evitar a materialização de tais riscos."

Neste mês, o BCE elevou a taxa básica de juros da zona do euro em 0,25 ponto, para 1,25 por cento - a primeira alta desde julho de 2008 -, citando riscos de inflação. (Reportagem de Sakari Suoninen; Reportagem adicional de Kristina Cooke em Nova York)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROTRICHET*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.