Ocean Air e BRA entram com recurso contra compra da Varig

Empresas querem que o conselho limite a utilização de slots pela nova companhia que nascer da fusão

Agência Estado, BRASÍLIA

17 de julho de 2007 | 15h32

As empresas aéreas Ocean Air e BRA pediram ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) a imposição de restrições à compra da Varig pela Gol anunciada no final de março. As duas concorrentes da Gol e da Varig querem que o conselho limite a utilização de slots (espaços para pousos e decolagens nos aeroportos) pela nova companhia que nascer da fusão, mesmo que aprove o negócio.   O pedido foi protocolado no conselho pelos advogados da BRA e da Ocean Air na semana passada e já foi encaminhado ao relator do caso, conselheiro Luís Fernando Rigato.   Já está em vigor, desde o dia 13 do mês passado, um acordo de preservação da reversibilidade da operação (Apro), que congela a compra da Varig pela Gol. O Apro foi assinado entre a Gol e o Cade com o objetivo de impedir uma integração administrativa e societária das duas empresas até o julgamento da operação pelo Cade.

Tudo o que sabemos sobre:
Ocean AirBRAVarig

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.