Odebrecht fará manutenção em campo de Peregrino

A Odebrecht Óleo e Gás (OOG) anunciou hoje assinatura de contrato com a norueguesa Statoil para cuidar da manutenção das plataformas do campo petrolífero de Peregrino, na Bacia de Campos. Com duração de quatro anos, renováveis por mais dois, o contrato vai render à empresa US$ 60 milhões e um passo a mais na estratégia de diversificar o portfólio de clientes nesse segmento, em que tem contratos hoje com Petrobras e Shell.

NICOLA PAMPLONA, Agencia Estado

27 de janeiro de 2011 | 18h02

"É um contrato que se encaixa em nossa estratégia, de permitir maior acesso ao mercado internacional e, quem sabe, no futuro, garantir negócios no exterior", disse à Agência Estado o diretor superintendente de Serviços Integrados da OOG, Jorge Mitidieri. O acordo com a Statoil prevê a manutenção, serviços de engenharia e a implementação de expansões nas duas plataformas fixas e no navio-plataforma que serão usados para produzir no campo de Peregrino, maior projeto da companhia norueguesa fora de seu país de origem. As atividades serão tocadas pela base da OOG em Macaé, que hoje tem cerca de mil funcionários e deve contratar mais a partir do novo contrato.

Mitidieri lembrou que a área de manutenção foi o que sustentou a renovação da OOG na década passada. Hoje, a companhia atua ainda em serviços de perfuração - tem cinco sondas contratadas com a Petrobras; a primeira deve chegar ao Brasil neste semestre - e equipamentos submarinos. Segundo o executivo, a empresa tem planos de chegar ao mercado internacional a médio prazo, a partir da experiência com contratos com estrangeiras no Brasil. Além disso, vê no desenvolvimento do pré-sal grande oportunidade para expandir as atividades no País. Com capacidade para produzir 100 mil barris por dia, o campo de Peregrino deve iniciar suas atividades neste primeiro trimestre.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.