Odebrecht faz associação para atuar no setor de defesa

O braço de segurança e defesa da European Aeronautic Defence & Space (EADS) anunciou um acordo para a formação de uma joint venture (associação) com o conglomerado brasileiro Odebrecht nas áreas de tecnologia de defesa e segurança. A joint venture pretende abordar o mercado de defesa e de segurança no Brasil e em outros países onde possam ser identificadas sinergias entre as duas empresas.

CLARISSA MANGUEIRA, Agencia Estado

31 de maio de 2010 | 13h02

"Este é um importante momento para a Odebrecht. Nosso objetivo é fortalecer nossas operações na área de defesa e segurança pública, criando uma parceria com um dos maiores líderes globais nesse setor", disse o presidente da companhia, Marcelo Odebrecht, durante cerimônia para a assinatura do acordo em Munique, na Alemanha.

Já o presidente da EADS Defence & Security afirmou que "a joint venture é uma prova do nosso compromisso com o Brasil. A EADS Defence & Security gostaria de ir além do simples fornecimento de alta tecnologia para o País, criando uma base industrial, com o desenvolvimento de uma parceria de longo prazo, incluindo a transferência de tecnologia sempre que for necessária".

A EADS Defence & Security é uma fornecedora de sistemas de soluções para forças armadas e segurança civil no mundo todo. Seu portfólio vai de sensores e segurança de redes a sistemas de mísseis para aviões e veículos aéreos não tripulados (UAVs, em inglês). A empresa oferece ainda segurança global, soluções de suporte e serviços. A receita da companhia totalizou 5,4 bilhões de euros em 2009. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
OdebrechtEADSassociaçãodefesa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.