OGX anuncia mais indícios de petróleo em poço de Campos

A OGX, braço de petróleo e gás natural do grupo EBX, do empresário Eike Batista, anunciou nesta segunda-feira que foram identificados intervalos de hidrocarbonetos (petróleo e gás) em reservatórios das idades aptiana e barremiana no poço 1-OGX-3-RJS, localizado no bloco BM-C-41, em águas rasas da parte sul da Bacia de Campos.

REUTERS

28 de dezembro de 2009 | 10h39

A OGX detém 100 por cento de participação nesse bloco, segundo comunicado enviado ao mercado. Esta é a segunda descoberta no poço OGX-3, tendo a primeira sido feita em reservatórios carbonáticos da seção albiana.

De acordo com o comunicado, o poço OGX-3 encontra-se em fase final de perfuração, que vai até a profundidade total estimada em 4 mil metros.

Nos próximos dias, será iniciado um teste de formação que visa verificar as características dos reservatórios carbonáticos em condições dinâmicas.

"A descoberta de hidrocarbonetos também nas seções mais profundas do OGX-3 evidencia o acerto da estratégia exploratória utilizada nesta área, que vem apresentando todos os elementos para converter-se em um importante polo produtor de petróleo", afirmou Paulo Mendonça, diretor-geral da OGX.

Criada em 2007, a OGX é a maior empresa privada em termos de área marítima de exploração no Brasil.

O poço OGX-3 se situa a aproximadamente 83 quilômetros da costa do Estado do Rio de Janeiro, onde a lâmina d'água é de aproximadamente 130 metros. A sonda Sea Explorer, fornecida pela Pride International, iniciou as atividades de perfuração no poço no dia 16 de novembro de 2009 e continuará no local até o fim do teste de formação.

A bacia de Campos é a maior região produtora de petróleo no país, com cerca de 80 por cento do total de cerca de 2 milhões de barris de petróleo produzidos no Brasil por dia.

A OGX informou ainda o início das perfurações dos prospectos Kilawea e Krakatoa, respectivamente através dos poços 1-OGX-4-RJS no bloco BM-C-42 e 1-OGX-5-RJS no bloco BM-C-43, com estimativa de 60 dias para a conclusão de ambas.

No dia 22 de dezembro, a OGX afirmou ter encontrado no poço OGX-2A, conhecido como Pipeline, um volume total recuperável entre 1 bilhão e 2 bilhões de barris de óleo equivalente (boe). O anúncio foi feito após a finalização da perfuração no poço, situado no bloco BM-C-41, em águas rasas da bacia de Campos.

(Por Camila Moreira)

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIAOGXENCONTRA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.