OGX espera 'upgrade' para disputar blocos em águas profundas

Com o início de suas operaçõesprevisto para setembro de 2009, na bacia de Santos, a OGXespera ser elevada a grau de investidor A pela Agência Nacionaldo Petróleo (ANP) para poder participar de disputas em águasprofundas e ultraprofundas. A OGX é o braço de petróleo e gás natural do grupo EBX, doempresário Eike Batista, e foi criada no ano passado paraparticipar da nona rodada de licitação de áreas de petróleo egás do governo brasileiro. A empresa investiu 2 bilhões de reais na compra de 21blocos em quatro bacias e se tornou a maior empresa privada depetróleo e gás do país. A OGX tem 7 blocos na bacia de Campos;4 na bacia de Santos; 5 na do Espírito Santo e 5 emPará/Maranhão. A expectativa da OGX é de que haja reservas de 4,8 bilhõesde barris de óleo equivalente (petróleo e gás natural) nosblocos adquiridos na nona rodada, segundo estudo feito para aempresa pela DeGolyer& MacNaughton. A campanha de perfuração na bacia de Santos está previstapara começar em setembro de 2009. Em Santos, a OGX tem blocosem águas rasas, longe do pré-sal, e está finalizando sísmicatridimensional (3D) e aguarda o resultado para breve. A empresa vai encomendar dados sísmicos 3D para estudarseus blocos na bacia de Campos em setembro deste ano. Já ostrabalhos na bacia do Espírito Santo ficarão para os doisúltimos meses do ano, informou o diretor de Relações comInvestidores da OGX, Marcelo Faber Torres. Segundo o executivo, em 13 meses a empresa já deverá teruma avaliação de todas as suas áreas. "O Espírito Santo pode demorar um pouco mais, 4 ou 5 meses,porque vai ter uma área maior de cobertura, mas até o fim doprimeiro semestre, começo do segundo semestre do ano que vem,nós já receberemos os resultados", informou em teleconferênciacom analistas nesta quinta-feira. A OGX fechou contrato com a Diamond para o afretamento deduas sondas semi-submersíveis de perfuração, que ficarãoresponsáveis pela campanha exploratória da petroleira na Baciade Campos.Torres afirmou que apesar de a OGX ter blocos apenas em terra eáguas rasas acompanha com atenção as mudanças que podem serfeitas nas regras do petróleo para exploração das águasultraprofundas do pré-sal. "Estamos esperando o que o governo vai anunciar em relaçãoao pré-sal. Vamos avaliar e ver como poderemos participar nofuturo dessa nova rodada", disse aos analistas. A OGX vê boas oportunidades no 10o leilão do governobrasileiro, previsto para dezembro, que deverá ser restrito ablocos em águas rasas e terrestres. "É uma boa oportunidade para aumentar nosso porftólio deáreas", avaliou, confirmando participação.(Reportagem de Denise Luna)

REUTERS

14 de agosto de 2008 | 17h59

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIAOGX

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.