OHL diz que Brasil precisa evoluir em PPP

O diretor de Relações com Investidores da OHL Brasil, Alessandro Levy, disse nesta quinta-feira que o Brasil precisa evoluir ainda as parcerias público-privadas (modelo PPP) para os investimentos em infraestrutura. "É preciso ter subsídios do governo para alguns projetos", afirmou, durante apresentação no Congresso Apimec. O executivo disse que a OHL, como uma empresa de capital aberto, precisa pensar do ponto de vista do investidor, atenta à rentabilidade, para realizar seus investimentos.

FERNANDA GUIMARÃES, Agencia Estado

30 de agosto de 2012 | 13h17

O diretor da OHL defendeu também o desenvolvimento das debêntures de infraestrutura, que "trarão ao setor o mercado de dívidas". "O mercado está se desenvolvendo e estamos vendo um maior alongamento dos prazos", disse.

Levy afirmou que a companhia tem interesse nas próximas concessões de rodovias no Brasil, que deverão sair no final deste ano e também em 2013.

O executivo disse também que a companhia tem interesse nos leilões dos aeroportos, mas destacou que esse interesse depende do modelo que será adotado pelo governo. "Ainda tem muita discussão do modelo. Então pode ser ou não uma oportunidade para a OHL", disse. Entre o aeroportos que interessariam à companhia estão os de Goiânia, Salvador e Belo Horizonte (Confins), de acordo com a apresentação do executivo.

Tudo o que sabemos sobre:
OHLPPP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.