Oi diz que analisa metas não alcançadas em banda larga

Após a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) divulgar dados sobre a qualidade dos serviços de banda larga, a Oi informou nesta quinta-feira, 6, que as situações em que as metas estipuladas não foram alcançadas pela operadora "já foram mapeadas e estão sendo cuidadosamente analisadas e tratadas pela companhia".

MARIANA SALLOWICZ, Agencia Estado

06 de fevereiro de 2014 | 21h17

Dois indicadores são acompanhados pela agência. Na taxa de transmissão instantânea, que é a velocidade de upload e download apurada no momento de utilização da internet pelo usuário, as empresas têm que entregar, pelo menos, 30% da velocidade contratada em 95% das medições.

Também é verificada a taxa de transmissão média, que representa a média das medições de velocidade instantânea apurada durante o mês. A meta é de 70% da velocidade contratada.

A Oi atingiu a meta para os dois indicadores em 9 Unidades da Federação: Alagoas, Distrito Federal, Espírito Santo, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo. Já nos Estados do Acre, Amapá, Amazonas, Bahia, Rondônia, Roraima e Sergipe pelo menos um dos indicadores não teve a meta atingida.

A empresa disse que está priorizando investimentos em suas redes de telecomunicações. "Até o fim do terceiro trimestre de 2013, a Oi investiu R$ 4,7 bilhões, visando à expansão e melhoria da qualidade da rede móvel (3G e 4G) e da rede fixa para serviços de banda larga e TV paga", disse em nota à imprensa.

A Oi disse ainda que complementou a sua cobertura de banda larga móvel com o lançamento da rede Oi WiFi, com mais de 500 mil hotspots (pontos de acesso) disponíveis.

Tudo o que sabemos sobre:
Oimetasbanda larga

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.