Oi responde crítica e diz que Net teme concorrência em TV a cabo

Presidente da operadora disse que novas regras trazem mais concorrência ao País e, com isso, beneficiam o consumidor e não o grupo Oi

Mônica Ciarelli, da Agência Estado,

29 de junho de 2011 | 19h31

O diretor de regulamentação da Oi, Paulo Mattos, alfinetou nesta quarta-feira, 29, o presidente da Net, José Antônio Félix, ao afirmar que o executivo está com medo da maior concorrência no segmento de TV a cabo. A declaração foi uma resposta as críticas feitas mais cedo por Félix de que a nova regulamentação do setor em consulta pública pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) beneficia os interesses da Oi.

"Acho natural que o presidente da Net esteja incomodado com mais concorrência. É natural. A empresa ficou 10 anos com uma reserva de mercado e tem quase o monopólio do mercado", afirmou. Mattos argumenta que as novas regras trazem mais concorrência ao País e, com isso, beneficiam o consumidor e não o grupo Oi.

Para Mattos, a revisão da regra hoje pela Anatel é algo que já deveria ter sido feito há 10 anos. Hoje, segundo ele, a Net tem uma reserva de mercado, que a possibilitou conquista mais de 80% do mercado de TV a cabo. As regras atuais vedam a possibilidade das empresas de telefonia oferecerem TV por assinatura via cabo. O executivo lembrou ainda que a abertura do mercado para as telefônicas vão gerar mais investimentos para o País.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.