ONS propõe plano para garantir 'nível meta' de reservatórios

Com o objetivo de aumentar a margemde segurança de fornecimento de energia elétrica, o OperadorNacional do Sistema (ONS) quer estabelecer procedimentos parase atingir um "nível meta" de armazenamento dos reservatóriosdas hidrelétricas, que implicariam na antecipação de despachode geração térmica e no aumento de intercâmbios entre ossubsistemas geradores. O plano leva em consideração o fato de que mais de 80 porcento da energia elétrica gerada no Brasil vem dehidrelétricas, e que há risco de alguns anos não serem tãochuvosos para garantirem níveis adequados nos reservatórios. A metodologia, com foco na segurança energética de curtoprazo (dois anos), está sendo desenvolvida com base naexperiência de racionamento de energia no Brasil entre 2001 e2002, quando faltou água nos reservatórios. "O ONS acha que um país que pretende se desenvolver comesse nível de aceleração que está definindo o PAC não pode sedesenvolver apostando que o período úmido seja favorável... Eletem que se proteger antecipadamente, e essa proteção é o nívelmeta para o período seco", disse o diretor-geral do ONS, HermesChipp. O plano foi apresentado nesta quarta-feira no 4o EncontroNacional de Agentes do Setor Elétrico e será submetido emnovembro para discussão no Conselho de Monitoramento do SetorElétrico, que reúne organismos governamentais do segmento. O Nível Meta de Armazenamento estabelecido ao final doperíodo seco do primeiro ano, em novembro, deverá garantir águasuficiente para o segundo ano, considerando que este sejasemelhante ao pior período úmido histórico (dezembro a abril). Cerca de 60 por cento da água é armazenada nosreservatórios das regiões Sudeste, Centro-Oeste e Nordesteentre dezembro a abril. No curto prazo, para que a meta do nível do reservatórioseja atingida ao final do período seco, o ONS espera contarainda com as térmicas antecipadamente, para o país não sersupreendido no período úmido do ano seguite. Atualmente, em caso de baixa nos reservatórios, não há umprocedimento regulado para se antecipar a geração térmica. "Estou querendo que isso seja planejado e regulado comantecedência... Quando está longe de atingir o nível meta,agrega-se o volume de térmicas e eleva-se o intercâmbio (entresubsistemas) para a região que está em uma situação crítica". SEM RISCO PARA 2008 Para o biênio 2007 e 2008, o "nível meta" satisfatórioproposto para os reservatórios está abaixo dos níveis previstospara as regiões em 30 de novembro de 2007. Ou seja, a situaçãopara o período chuvoso estaria confortável, considerando que aschuvas foram intensas este ano. E o presidente do ONS descartouqualquer risco de racionamento em 2008. "Diria que em 2008 o risco de racionamento é zero. Vamosatingir o nível que desejamos para suportar (eventualmente) apior escassez da história (em um período chuvoso)." O ONS quer ainda que sejam agilizados os processos paraobtenção de licenciamento ambiental de alguns projetoshidrelétricos, que estariam com atrasos de cerca de um ano. Além disso, Chipp afirmou ser fundamental o cumprimento doTermo de Compromisso firmado entre a Petrobras e Aneel, para aexpansão da produção de gás e da infra-estrutura de gasoutos. Ele quer ainda que seja ampliada a utilização do potencialde geração elétrica com biomassa. "Biomassa é uma forma demitigar as incertezas da concretização das outras ofertas. Podeter atraso como está tendo em licenças ambientais... Milmegawatts de biomassa no período de maio a novembro me agregam4 por cento de armazenamento na região Sudeste."

ROBERTO SAMORA, REUTERS

12 de setembro de 2007 | 16h18

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIAONSPLANO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.