Operação de eólica Casa Nova vai atrasar, diz Chesf

O diretor econômico-financeiro da Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf), Marcos Cerqueira, disse nesta sexta-feira que a empresa ainda não possui licença ambiental para a usina eólica Casa Nova, projeto de 180MW que a estatal deve construir em Sobradinho, na Bahia. A energia que será gerada pelo parque eólico foi vendida em leilão realizado em 2010 e, por contrato, o empreendimento deveria começar a operar em 2013. "Mas vai atrasar", disse Cerqueira.

LUCIANA COLLET, Agencia Estado

20 de abril de 2012 | 13h57

Segundo o executivo, a Chesf está em negociações com o governo baiano, que teria garantido que a licença sairia em breve. Ele diz, ainda, que a companhia busca se aproximar dos governos estaduais para discutir as dificuldades na liberação de licenças ambientais de diversos empreendimentos, incluindo instalações de transmissão que conectarão as usinas eólicas da região ao sistema.

Atrasos na obtenção dessas licenças são apontados como o principal motivo da morosidade das obras dessas linhas de transmissão e subestações. Conforme Cerqueira, atualmente todas as instalações de conexão compartilhadas, as chamadas ICGs, enfrentam atrasos de cronograma. Fontes do setor têm alertado para o fato de que diversas usinas eólicas estarão prontas até julho, mas não terão como escoar a energia.

Tudo o que sabemos sobre:
ChesfCasa Nova

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.