Operação Zelotes: PF faz busca e apreensão no banco Safra

Segundo fontes, a investigação teria ocorrido no setor de contabilidade da instituição financeira

Aline Bronzati,Fausto Macedo, O Estado de S. Paulo

26 de março de 2015 | 17h28

A Polícia Federal fez uma operação de busca e apreensão na sede do banco Safra, em São Paulo, na manhã desta quinta-feira, 26, segundo fontes ouvidas pelo Broadcast. A investigação, que faz parte da Operação Zelotes, iniciada hoje, teria ocorrido, de acordo com as mesmas fontes, no setor de contabilidade da instituição. Além disso, homens da Polícia Federal foram vistos no hall de entrada do banco. Procurado, o Safra não comentou o assunto.

Mais cedo, a PF deflagrou a Operação Zelotes, que desarticulou um esquema de corrupção no Conselho de Administração de Recursos Fiscais (Carf), órgão responsável pelo julgamento de recursos administrativos de autuação promovidas pela Receita Federal.

Estão sendo investigadas cerca de 70 empresas em setores como financeiro, indústria automobilístico e agrícola. A operação, iniciada em 2013, apontou que grupos de servidores teriam manipulado o trâmite de processos e o resultado de julgamentos no conselho. A PF acredita que as empresas envolvidas no esquema podem ter deixado de pagar R$ 19 bilhões.

Com fortuna estimada em US$ 17,3 bilhões, Joseph Safra, dono do banco, é o segundo brasileiro mais rico, de acordo com a revista Forbes. No ano passado, o Safra registrou lucro líquido de R$ 1,547 bilhão, 13,9% maior que o registrado em 2013. Os ativos totais do banco somaram R$ 142,9 bilhões enquanto o patrimônio líquido da instituição foi a R$ 8,7 bilhões. O Safra conta com carteira de crédito expandida, incluindo as operações de avais e fianças e outros instrumentos de risco de crédito, de R$ 76,5 bilhões. 

Tudo o que sabemos sobre:
operação zelotesbanco safra

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.