Os Simpsons mostram sua força 25 anos após o lançamento da série

Maratona de 12 dias, com episódios ininterruptos, coloca canal lançado há apenas um ano na liderança das 105 emissoras a cabo medidas pelo instituto Nielsen e confirma fenômeno cultural sem paralelo na televisão moderna

Bill Carter, The New York Times

03 de setembro de 2014 | 16h18


Um quarto de século atrás, a comédia animada Os Simpsons colocou no mapa a combalida emissora Fox, que alcançou a quarta posição entre as maiores redes americanas. Agora, com a ampla divulgação de uma maratona com todos os 552 episódios da série que chegou ao fim na segunda feira, Os Simpsons repetiram o feito, levando um canal de TV a cabo chamado FXX, laçado há apenas um ano, à primeira posição entre as 105 emissoras a cabo medidas pela Nielsen Co.

A maratona de 12 dias, com episódios ininterruptos, incluiu também o filme lançado para os cinemas em 2007 e obteve audiência aproximadamente três vezes maior do que a esperada pelos executivos do canal. Com isso, o FXX conseguiu ser a rede de TV a cabo mais assistida pelo público preferido pelos anunciantes - espectadores com idade entre 18 e 49 anos - em três das 12 noites da maratona. Tomada em conjunto, a audiência da maratona teve média etária de 28 anos, uma das mais baixas na televisão.

Além de confirmar o poder dos Simpsons como fenômeno cultural praticamente sem paralelo na televisão moderna, a maratona terá outro resultado significativo, disse John Landgraf, diretor executivo das redes FX.

"Estamos falando de uma transformação radical no valor de um ativo", disse ele.

O canal FXX nasceu do Fox Soccer Channel, que "não tinha quase nenhum valor como ativo", disse Landgraf.

O FXX tem planos ambiciosos para a sequência do enorme sucesso da maratona, a começar por uma programação repleta de reprises dos Simpsons, chegando a quatro horas por noite. Um aplicativo moderno, "Simpsons World", permitirá que os fãs da série assistam a qualquer episódio, selecionem trechos, leiam roteiros e sigam os episódios por tema, personagem ou algum outro critério de sua preferência. (Os assinantes do canal via cabo ou satélite receberão o aplicativo completo. Todos poderão obter clipes e outros elementos gratuitos dentro do aplicativo).

 

Antes da maratona, o FXX estava na 49ª posição entre os canais a cabo na faixa etária dos 18 ao 49 anos. No decorrer das 12 noites anteriores, a rede chegou ao terceiro lugar. O FXX está disponível em apenas 74 milhões de lares, bastante abaixo dos cerca de 100 milhões que as maiores redes a cabo alcançam.

Além de impressionantes, os resultados da maratona foram consistentes. Na noite final, os episódios mais recentes ultrapassaram a marca de 1 milhão de espectadores. No decorrer dos 12 dias, os episódios exibidos no horário nobre tiveram média de 1,32 milhão de espectadores, uma alta de mais de 500% em relação à média anterior do canal, de 206 mil pessoas. Na faixa etária dos 18 aos 49 anos, o canal teve média de 841 mil espectadores, uma alta de mais de 650% em relação à média anterior de 111 mil espectadores.

Lou La Torre, presidente de vendas, disse que o FXX vendeu o intervalo comercial entre os episódios a preços modestos. "Seria o maior eufemismo da minha vida se eu dissesse que os anunciantes ficaram eufóricos", afirmou ele.

O FXX espera lucrar com exibições futuras dos episódios.

Levar ao mercado uma nova rede (ou, nesse caso, uma rede renomeada) se tornou um desafio ainda maior, porque a concorrência hoje inclui os serviços de streaming além dos canais rivais.

"Isso ocorre num momento em que muitos estão dizendo que os canais lineares estão mortos, e o único crescimento possível estaria no Netflix e no streaming", disse Landgraf. "No nosso caso, 98% do consumo foi linear." Ma maratona foi na prática um evento ao vivo e, nos anos mais recentes, os eventos ao vivo mostraram ter valor muito acima da média para os serviços lineares de TV.

Reprises de Os Simpsons ainda não tinham sido exibidas na TV a cabo. Landgraf disse que o FXX tinha interesse em comprar apenas o pacote completo, embora o custo tenha sido o mais alto da história do licenciamento na TV. (O preço comentado de US$ 1 bilhão seria "uma estimativa muito alta", disse Landgraf, sem dar números exatos).

Ainda assim, foi um negócio vantajoso para o FXX porque o canal é de propriedade da 21st Century Television, assim como o estúdio de produção da Fox, dona de Os Simpsons. O custo verdadeiro para a empresa foi mais baixo do que o valor que uma empresa externa teria de pagar.

Mas aqueles que recebem participação nos lucros da série, incluindo o criador da série, Matt Groening, e o produtor executivo Al Jean, tiveram de ser compensados.

James L. Brooks, cineasta ganhador do Oscar que há muito trabalha como produtor e roteirista de TV, responsável pelo desenvolvimento da série ao lado de Groening e ainda produtor executivo da série, parabenizou o FXX pela ideia da maratona e pela criatividade usada na promoção do evento. Ele disse que muitos dos produtores e roteiristas que trabalharam na série se comunicaram durante a maratona.

"Não esperávamos que a maratona mexesse tanto com as emoções", disse Brooks. "A ideia ressoou. Todos ficamos embasbacados" com o afeto demonstrado pelo público que acompanhou a maratona.

Chuck Saftler, presidente de estratégia de programação do FXX e principal executivo responsável pela ideia da maratona, que conheceu Os Simpsons quando tinha 25 anos e se identificou com Bart, disse ter flagrado a si mesmo acompanhando a maratona agora, como pai, e "me sentindo muito parecido com Homer". Brooks destacou que o fato de Os Simpsons serem uma animação foi crucial para a longevidade do programa, pois "os personagens não envelhecem". Saftler disse, "costumamos abusar da palavra 'eterno', mas, nesse caso, ela parece apropriada".

Tradução de Augusto Calil

Tudo o que sabemos sobre:
Os SimpsonsSimpsons

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.