País cria 120,4 mil empregos em junho, pior resultado desde 2009

O volume de contratações formais é de 1.047.914 postos no acumulado do 1º semestre, aponta o Caged

Célia Froufe, da Agência Estado,

23 de julho de 2012 | 10h08

O saldo líquido de empregos criados com carteira assinada no Brasil foi de 120.440 em junho, conforme informou o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). O saldo líquido de empregos criados foi o pior para o mês desde 2009 (saldo de 119.945), auge dos impactos da crise financeira internacional sobre o Brasil; No mês passado, foram criadas 120.440 vagas formais, queda de 52,8% ante 255.418 vistas em junho do ano passado, com ajuste. Sem ajuste, o saldo estava em 215.393 (-44%).

Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) revelaram que assinaram contratos formais 1.732.327 trabalhadores no mês passado, enquanto 1.611.887 foram desligados.

O resultado veio abaixo das estimativas coletadas pelo AE Projeções com 13 instituições do mercado financeiro.

No acumulado do primeiro semestre, o resultado também é o pior desde 2009. De janeiro a junho deste ano, o Brasil criou 1.047.914 empregos com carteira assinada. Há três anos, o saldo desse período foi de 393.936 vagas, com os ajustes feitos pelo ministério até o mês de maio daquele ano.

No primeiro semestre do ano passado, o saldo ficou em 1.414.660, com ajuste feito até maio, e de 1.454.685, com ajuste em todos os meses da primeira metade do ano. Os dados ajustados incluem as informações prestadas ao MTE mesmo fora do prazo original. Assim, na comparação com o ano passado, houve um recuo na criação de vagas de 27,96%, levando-se em conta o saldo ajustado ao longo de todo o primeiro semestre.

Tudo o que sabemos sobre:
cagedemprego

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.