Países da UE não serão responsáveis por dívidas uns dos outros, diz ministro

Ministro das Finanças da Alemanha negou que pacote de ajuda à Grécia abra caminho para um futuro de união de transferência fiscal na zona do euro

Reuters,

30 de julho de 2011 | 14h47

O ministro das Finanças alemão Wolfgang Schaeuble negou neste sábado que o pacote de ajuda à Grécia, 30, abra caminho para um futuro em que os países da zona euro serão responsáveis pelas dívidas uns dos outros.

Os comentários do ministro a um jornal cuja entrevista será publicada no domingo chegam após ele ter tentado essa semana tranquilizar colegas políticos conservadores, no sentido de que um novo fundo de resgate na zona euro não dê "carta branca" para comprar títulos de estados em dificuldades.

O presidente Bundesbank (o banco central alemão), Jens Weidmann, alertou na semana passada que os € 109 bilhões do pacote de ajuda para a Grécia desmotivam os países da zona do euro para manter as finanças sólidas e conduz a uma espécie de união de transferência fiscal.

"Eu não gosto do termo, porque só leva a mal entendidos e não tem nada a ver com o resultado da cúpula", Schaeuble disse ao Frankfurter Allgemeine Sonntagszeitung, de acordo com uma transcrição fornecida pelo jornal neste sábado.

"Nós não estamos alinhando as taxas de juros. Não estamos socializando o risco da dívida. Estamos criando mecanismos eficazes de combate à crise. Nada mais e nada menos que isso. O requisito para fazer poupança, que está ligada à ajuda, exerce um efeito disciplinador sobre os estados que a receberem".

Após a reunificação alemã em 1990, e a conversão de sua moeda a uma taxa de câmbio sobrevalorizada do marco, as regiões anteriormente na Alemanha Oriental sofreram desemprego em massa, à medida que custos elevados e salários significavam empresas incapazes de competir com as ocidentais mais produtivas.

Vinte anos depois, e depois de milhares de milhões de euros em subsídios da antiga Alemanha Ocidental, regiões orientais ainda são visivelmente mais pobres do que as do oeste.

(Por David Milliken)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROALEMANHAGRECIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.