Panasonic adquire ações da Sanyo para concretizar fusão

Com o negócio, a gigante dos eletrônicos passará a Sony e será a segunda maior do setor no Japão

Efe

05 de novembro de 2009 | 04h07

A empresa de eletrônicos japonesa Panasonic começou nesta quinta-feira, 5, a comprar mais de 50% das ações da Sanyo para transformá-la na sua subsidiária a um preço de 131 ienes por título, muito abaixo dos 216 ienes do preço de mercado.

Com este acordo, Panasonic garante que os investidores particulares não participarão de um acordo fechado entre os três principais acionistas da Sanyo: Goldman Sachs, Daiwa Securities e Sumitomo Mitsui.

  

Após a fusão, será criado o segundo maior fabricante de eletrônicos do Japão em número de vendas se aproximando da líder Hitachi e passando a Sony.

 

A oferta pública de ações acontecerá até o dia 7 de dezembro e segundo os planos da Panasonic, os problemas com as leis de concorrência atrasaram o processo de fusão, que já acontece há um ano, pois as duas empresas são líderes no setor das baterias de lítio.

 

Em outubro, a Sanyo anunciou um plano de venda de algumas de suas operações para regularizar a sua situação com os organismos de concorrência e a Panasonic teve que reduzir sua participação dos seus negócios com a Toyota.

 

De acordo com o jornal japonês Nikkei, os reguladores dos Estados Unidos se oporam a oferta pública de açoes. Porém, a Panasonic considera que oficialmente se chegou a um acordo.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.