Para Datagro, gasolina pode subir se alta do dólar persistir em 2012

Isso levaria a uma recuperação de competitividade do etanol, avalia Plínio Nastari, presidente da consultoria

Gustavo Porto, correspondente da Agência Estado,

13 de dezembro de 2011 | 21h08

RIBEIRÃO PRETO - A desvalorização do real, se persistir em 2012, pode fazer com que o governo federal não suporte a pressão com a alta do dólar no valor petróleo e reajuste o preço da gasolina. A avaliação é do presidente da Datagro Consultoria, Plínio Nastari.

Até agora, o governo reduziu a incidência da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) na gasolina de 14% para 2,7%, desde 2002, para compensar as altas do petróleo e do dólar.

"Como a Cide quase não tem mais (espaço para baixas), novas desvalorizações do real devem levar a um aumento na gasolina e a uma recuperação de competitividade do etanol", avaliou Nastari, durante seminário da Datagro, em Ribeirão Preto (SP). "Isso incentivaria novos investimentos na produção do combustível", concluiu.

Tudo o que sabemos sobre:
gasolinaetanolDatagro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.