Para dono do Habib’s, só preço justo não basta

Alberto Saraiva, dono da maior rede de fast-food do Brasil, dá conselhos a pequenos e médios empresários

Ligia Aguilhar, do Estadão PME ,

28 de junho de 2011 | 23h00

SÃO PAULO - Se quiser comprar uma briga feia com Alberto Saraiva, presidente e fundador do Habib's, basta discordar da sua política agressiva de preços. O empresário, que criou a maior rede de fast-food do Brasil graças às esfihas que custam poucos centavos, garante sem medo de errar que a receita do sucesso para qualquer negócio é uma só: vender pelo menor valor possível.

Esse foi o principal tema do encontro, promovido pelo Estadão PME, entre Saraiva e seis pequenos e médios empreendedores na sede do Habib's, localizada no bairro do Morumbi, na cidade de São Paulo, e cuja íntegra você confere na edição desta quarta do Estadão.

Durante o café da manhã, os participantes puderam compartilhar experiências, tirar dúvidas e pedir conselhos para o empresário sobre a administração de seus negócios.

Abaixo, veja os principais temas abordados no encontro e descubra se as dicas do empresário podem ajudar no seu pequeno ou médio negócio:

Preços

Saraiva acredita que a melhor maneira de conquistar muitos clientes e multiplicar o faturamento é vender produtos e serviços pelo menor preço possível. "Aprendi que o sucesso de uma empresa não vem dos cálculos de custos, mas da capacidade de conseguir sempre mais clientes", afirma.

Para negócios em crise, por exemplo, Saraiva recomenda a redução da margem de lucro para baratear o principal produto da empresa. E não pode ser qualquer desconto. "O empreendedor tem que diminuir o preço de uma maneira que até ele se surpreenda", recomenda. Afinal, segundo o empresário, "preço justo não vende."

Marketing

Oferecer produtos e serviços de qualidade também é uma boa forma de conquistar novos clientes. Se o preço baixo ou a apresentação do produto deixarem o cliente em dúvida, é hora de investir em marketing. "As qualidades da empresa precisam ficar claras para o mercado. Se existem dúvidas, uma maneira de resolver isso é pedindo ajuda ao marketing, para que a informação chegue de maneira correta."

Negociação

Mas o que fazer quando uma empresa não fecha contratos? Saraiva acredita que o primeiro passo é identificar quais produtos vendem e quais não vendem para, depois, garantir que a equipe de vendas esteja bem treinada.

A forma como a apresentação da empresa é feita também é importante. Portanto, o material de propaganda do negócio tem influência direta no resultado final de qualquer negociação, garante o empresário.

Qualificação

A falta de mão de obra capacitada é um problema que atinge quase todas as empresas, afirma o fundador do Habib's. "O empreendedor precisa saber formar pessoas, identificar quem é diferenciado e investir nele para ocupar postos estratégicos no futuro."

Ele recomenda ainda a contratação de profissionais especializados em áreas estratégicas para auxiliar o proprietário na tomada de decisões. "Há momentos em que a empresa fica maior do que você. Nessas horas, temos que admitir pessoas de fora", diz.

Mais informações sobre o universo das pequenas e médias empresas estão publicadas na primeira edição do Estadão PME, que circula hoje junto com o Estadão e terá edição mensal. Além do caderno, o leitor ainda ganhará um site – dentro do portal do Estadão – e três boletins semanais na rádio Estadão ESPN. Uma vez por semana, no caderno de Economia & Negócios, o leitor também terá um espaço apenas para a discussão do empreendedorismo.

Tudo o que sabemos sobre:
habib'ssaraivapoliticapreços

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.