Para Embratel, é prematuro falar de TIM e Vivo

O presidente da Embratel, José Formoso, considera "prematuro" avaliar o impacto no mercado brasileiro do aumento de participação da Telefónica na Telco, controladora da Telecom Italia. As empresas controlam, respectivamente, Vivo e TIM, duas das maiores operadoras de telefonia móvel do Brasil. "Vai depender de muita coisa fora do Brasil. Ainda é prematuro, falta muita coisa para passar na Europa", afirmou Formoso, nesta segunda-feira, 30.

ANTONIO PITA, Agencia Estado

30 de setembro de 2013 | 16h21

O executivo informou ainda que a Embratel deve crescer em um "ritmo menor", mas não detalhou as estimativas de resultados deste ano. "É um ano muito interessante, muita estrutura nova, com banda larga e 4G. Vamos continuar a crescer, embora em um ritmo menor", disse.

"Estamos dedicados a cumprir todas as expectativas de qualidade, melhora e crescimento do 4G já contratados. Temos um compromisso gigante para nas cidades grandes e nas áreas rurais", completou. O executivo disse ainda que a companhia estuda participar dos próximos leilões previstos para a rede de 700 MHz.

Mais conteúdo sobre:
TelefónicaTIMEmbratel

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.