Para Meirelles, crise inflacion?ria mundial ? 'epidemia'

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, descreveu hoje como "epidemia" a crise inflacion?ria internacional e o Brasil como "paciente" da alta dos pre?os. Em uma palestra para cooperativas de trabalho m?dico, o presidente usou diversas analogias da sa?de para explicar a situa??o econ?mica mundial e frisar que o BC est? adotando todas as medidas necess?rias para controlar a infla??o e manter o crescimento sustent?vel.<BR><BR>"A boa not?cia ? que primeiro, o rem?dio existe e ? eficaz; segundo que o rem?dio est? sendo aplicado a tempo e a hora e isso significa que o paciente j? est? com plenas condi??es para enfrentar o problema e melhorar sem grande seq?elas", disse, no encerramento do "XXV Simp?sio das Unimeds do Estado de S?o Paulo", realizado no Guaruj?, na Baixada Santista.<BR><BR>Segundo Meirelles, o rem?dio ? o aperto da pol?tica monet?ria feito pelo BC, com o aumento do super?vit prim?rio pelo setor p?blico. Ele destacou que a vantagem do Brasil frente aos outros pa?ses foi o diagn?stico precoce do problema e que foi preciso esfriar "um pouquinho" a economia para impedir o repasse generalizado da alta das mat?rias-primas para os pre?os finais.<BR><BR>"Esse ajuste nunca ? um ajuste de festa, mas pode ser encarado com mais serenidade", ressaltou, em refer?ncia aos seguimentos da sociedade que criticaram a decis?o do Comit? de Pol?tica Monet?ria (Copom) do BC de aumentar o percentual da taxa b?sica de juros da economia (Selic) nas reuni?es de abril e junho. Determinada em 12,25% ao ano, a Selic poder? subir novamente na pr?xima reuni?o do Copom, marcada para 22 e 23 de julho.<BR><BR>Ap?s destacar os avan?os econ?micos do Pa?s e lembrar o fim do problema da d?vida externa, Meirelles afirmou que sua mensagem era de confian?a e a id?ia era garantir o desenvolvimento sustent?vel do Brasil. "Uma coisa ? um paciente fr?gil que entra numa crise, a outra ? um paciente saud?vel", exemplificou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.