Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Para presidente da Oi, plano da tele deve ser aprovado este mês

Eurico Teles vai liderar processo de aprovação da proposta; executivo assumiu o cargo na semana passada

Cynthia Decloedt e Fernanda Nunes, O Estado de S.Paulo

01 Dezembro 2017 | 00h09

SÃO PAULO E RIO – O novo presidente da Oi, Eurico Teles, que assumiu o cargo na última segunda-feira, 27, disse acreditar na aprovação do plano de recuperação judicial da companhia no dia 19 de dezembro, data em que voltará a se reunir com credores, como determinado pelo juiz Fernando Viana.

Para credores, no entanto, a votação deve ficar para fevereiro, de acordo com fontes ligadas aos detentores de títulos (“bondholders”) da operadora.

++Oi alcança no 3º trimestre o primeiro lucro desde o fim de 2015

“Estamos agora com o plano na Justiça que precisa de modificações rápidas para que possa trazer apaziguamento e dinheiro novo para companhia. Vamos apresentar (um pré-acordo) ao doutor Fernando (juiz) no dia 12, para que no dia 19 a assembleia possa aprovar o plano”, disse Teles, antes de participar de evento de inauguração da Oito nesta quinta-feira, 30, uma parceria com empresas de tecnologia e centros de pesquisa para formar um espaço de inovação.

Teles, que recebeu da Justiça a determinação de definir o plano de recuperação sem ter a necessidade de aprová-lo pelo conselho de administração, não está otimista em relação à entrada de potenciais investidores novos antes da recuperação da companhia.

“Até apareceram algumas pessoas para conversar, mas ninguém trouxe ainda um plano efetivo para a companhia”, disse o executivo, que substituiu Marco Schroeder, que renunciou ao cargo.

Conselheiros fora. Com a decisão da Justiça de afastar os conselheiros da decisão sobre o plano de recuperação da companhia, os representantes do acionista minoritário Nelson Tanure no conselho, que detém ações por meio do fundo Société Mondiale; e da Pharol (ex-Portugal Telecom) perdem forças na queda de braços com os credores.

O grupo de bondholders representados pela Moelis e pelo G-5 busca emplacar seu próprio plano de recuperação, já que até o momento o desenho vigente foi o da empresa, encabeçado pelo grupo do conselho de administração liderado por Tanure.

Agora, Teles terá a tarefa de costurar um plano até o dia 12 para que a assembleia de credores ocorra no dia 19. Em recuperação judicial desde junho do ano passado, a operadora acumula dívidas de R$ 64 bilhões.

Multas. O executivo disse acreditar também na aprovação pela Advocacia Geral da União da proposta de pagamento de R$ 8,5 bilhões em multas com uma entrada de R$ 1,7 bilhão, 20% da dívida total, e o restante em 239 vezes, corrigidas pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Os R$ 1,7 bilhão seriam compostos por R$ 1,4 bilhão já depositados judicialmente e mais R$ 300 milhões de dinheiro novo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.