Para se proteger da crise, Hungria quer iniciar negociação com FMI

Governo húngaro busca um programa financeiro preventivo para resguardar sua vulnerável economia e dar garantia aos investidores no país

Danielle Chaves, da Agência Estado,

20 de abril de 2012 | 08h31

BUDAPESTE - A Hungria quer iniciar as negociações formais com credores internacionais sobre um pacote de ajuda financeira urgentemente, segundo o primeiro-ministro Viktor Orban. "Isso é necessário para que, caso a situação econômica na União Europeia se deteriore, e há grandes chances de isso acontecer, isso não derrube a Hungria junto", disse o premiê em entrevista à rede regional DTV.

Orban afirmou também que a Hungria não perderá os financiamentos da UE para 2013 e tomará todas as medidas para garantir isso. Os ministros de Finanças europeus concordaram em congelar € 450 milhões de um fundo para a Hungria em 2013 se o país não conseguir manter o déficit orçamentário em ou abaixo de 3% do Produto Interno Bruto (PIB).

O governo húngaro está em busca de um programa financeiro preventivo do Fundo Monetário Internacional (FMI) e da UE para proteger a vulnerável economia do país e tem afirmado repetidamente querer o apoio apenas como uma garantia para os investidores. "Nós não queremos um empréstimo, não queremos dinheiro, mas queremos uma rede de segurança", disse Orban. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.