Paraná estima área recorde para a segunda safra de milho

O Paraná, maior produtor de milho doBrasil, deve plantar uma área recorde na segunda safra docereal (safrinha), estimada em 1,6 milhão de hectares,crescimento de 11 por cento na comparação com o ano passado(1,44 milhão de hectares), informou nesta quinta-feira oDepartamento de Economia Rural (Deral). O aumento do plantio ocorre em meio a um cenário de preçosaltos, puxados tanto pelo consumo interno como pelasexportações, segundo o Deral, órgão do governo do Estado. "Estamos precisando de milho no Brasil, e o mundo estáprecisando também. Os Estados Unidos (principal produtormundial) devem reduzir a área (de milho) este ano para plantarmais soja", declarou a agrônoma do Deral especialista em milho,Margorete Demarchi, por telefone. O plantio da safrinha de milho já começou no Paraná,atingindo 3,3 por cento da área estimada. Em sua primeira estimativa para a safrinha, o Deral apontouque, em condições normais de tempo, os agricultores paranaensespoderão colher um volume recorde na segunda safra, de até 6,6milhões de toneladas, batendo marca máxima anterior de 6milhões de toneladas da safra 2002/03. Na temporada passada, o Paraná colheu 5,46 milhões detoneladas de milho safrinha. Já a produção de milho na primeira safra do Estado(2007/08), cuja colheita se iniciou recentemente, está estimadaem 8,82 milhões de toneladas, leve baixa na comparação com aestimativa de dezembro (8,93 milhões). Mesmo assim, se a previsão for confirmada, os paranaensesvão colher mais do que em 06/07, quando a produção foi de 8,6milhões de toneladas. O aumento de produção de milho no Paraná é importante pararesponder ao crescimento no consumo interno nacional, embaladopor maior demanda dos setores de carnes, além dos negócios deexportação. O Ministério da Agricultura prevê o consumo brasileiro demilho em 44 milhões de toneladas em 07/08, alta de 3,5 milhõesde toneladas na comparação com o ano-safra anterior. O Brasildeverá produzir 53,3 milhões de toneladas de milho em 07/08. Segundo a agrônoma, a primeira safra de milho, de modogeral, "vai muito bem", com o tempo favorecendo até o momento.Apenas 30 por cento das lavouras, ainda em floração oudesenvolvimento vegetativo, correm algum risco climático,acrescentou ela. SOJA E TRIGO No caso da soja, somente algumas lavouras precoces jácomeçaram a ser colhidas. Segundo o Deral, 2 por cento da safraestá em maturação, 43 por cento em frutificação, 40 por centoem floração e 14 por cento em desenvolvimento vegetativo. "Risco climático tem o que está em floração... ainda hárisco de seca e de chuva na colheita", observou outro agrônomodo Deral, Otmar Hubner. O Deral manteve os números da soja na comparação com olevantamento anterior, estimando uma produção de 11,8 milhõesde toneladas, contra 11,7 milhões na safra anterior. O Paraná éo segundo produtor de soja do Brasil. Hubner, especialista em soja e trigo, disse que apenas nomês que vêm o departamento terá uma estimativa para o cereal. Ele afirmou que provavelmente a área de trigo aumentaráeste ano, impulsionada por melhores preços, mesmo diante doaumento da safrinha de milho. "Temos espaço para aumentar trigoe milho safrinha. O produtor pode usar as áreas de aveia e empouso para plantar trigo", comentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.