Parceria estudará biodiesel e energia a partir de alga

Algae aplicará R$ 360 mil, totalizando um investimento de R$ 3,6 milhões no projeto

Gustavo Porto, da Agência Estado,

16 de fevereiro de 2011 | 11h28

A Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e a Algae Biotecnologia/Biolatina assinaram contrato de cooperação tecnológica para desenvolvimento de pesquisa com foco na geração de biocombustíveis e bioenergia a partir de microalgas, como da vinhaça, subproduto da indústria sucroenergética. O acordo terá financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), de R$ 3,24 milhões, na primeira pesquisa da universidade financiada pela instituição de fomento.

A empresa aplicará R$ 360 mil, totalizando um investimento de R$ 3,6 milhões no projeto. Será montado um novo laboratório de microalgas no campus da UFSCar, em Araras (SP), no Centro de Ciências Agrárias da universidade, e também pilotos de biodigestão, cultivo de microalgas e pós-processamento (secagem de biomassa e extração de óleo). A equipe terá dez pesquisadores, entre técnicos com doutorado, mestrado, estagiários e equipe de suporte.

Segundo o coordenador do projeto, Reinaldo Gaspar Bastos, o trabalho é "desenvolver processos de aproveitamento da vinhaça gerada nas usinas de açúcar e álcool, reduzindo o impacto poluidor, com produção de biomassa de microalgas com possível valor comercial", destaca. Já Sérgio Goldemberg, gerente técnico da Algae Biotecnologia/Biolatina, informou que a expectativa é que todo o desenvolvimento tecnológico relativo à produção de biocombustíveis e bioenergia seja desenvolvido m 30 meses e se torne disponível para a produção comercial.

Tudo o que sabemos sobre:
biotecnologiaBNDESfomento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.