Participação da China nas vendas tende a subir, diz Vale

No ano passado, a participação da China nas vendas de minério de Vale caíram para 42,9% ante 56,8% de 2009 

Chiara Quintão, da Agência Estado,

25 de fevereiro de 2011 | 16h32

A participação da China nas vendas de todos os produtos da Vale tende a aumentar, segundo o diretor de Marketing, Vendas e Estratégia da Vale, José Carlos Martins. "A China é um fenômeno de crescimento, o país que mais cresce no mundo. A expressividade da China só tem aumentado", disse o executivo, ressaltando que as vendas da companhia sempre foram diversificadas tanto para o ocidente quanto para o oriente.

No ano passado, a participação da China nas vendas de minério de Vale caíram para 42,9% ante 56,8% de 2009. A queda da parcela ocorreu devido a recuperação da Europa. "O movimento de 2009 foi fora da curva. No período mais agudo da crise, as vendas para a Europa caíram 80%. Se não fosse a China a situação teria sido muito pior em 2009", diz Martins. Segundo ele, o desafio em relação a China hoje é a distância. "Estamos tentando contornar esse desafio na estratégia de transporte e distribuição."

Por enquanto o impacto dos conflitos no Oriente Médio tem sido inexpressivos para a Vale, de acordo com Martins. Um grande cliente da Líbia está com as operações paralisadas, mas de acordo com o executivo o total das vendas para o Oriente Médio não chega a 3%. "Na questão de preços de metais e commodities existe impacto principalmente naqueles negociados na LME como cobre e níquel", contou. Martins disse que a empresa não vê impacto "muito grande" da crise nos custos da companhia.

Tudo o que sabemos sobre:
ValeChinaminério de ferro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.