Participação da Portugal Telecom na fusão Telesp/Vivo é descartada

Telefónica teria descartado possibilidade de partilhar qualquer tomada de decisões com os portugueses

Karla Mendes, da Agência Estado,

27 de julho de 2010 | 18h33

A hipótese de a Portugal Telecom (PT) continuar no Brasil por meio de uma participação na empresa que resultaria da fusão da Vivo com a Telesp caiu por terra. É que os espanhóis descartaram a possibilidade de partilhar qualquer tomada de decisões com os portugueses, segundo disse à Agência Estado uma fonte ligada às negociações.

De acordo com a fonte, essa hipótese chegou a ser levada para a mesa de negociações entre os grupos ibero-americanos antes do dia 30, quando expirou a última oferta de € 7,15 bilhões da Telefónica pela participação da PT na Vivo. Mas como a proposta dos espanhóis se limitou à oferta de participação minoritária, enquanto a PT não encontrasse outra empresa para investir, e "sem qualquer possibilidade de partilha de gestão", essa hipótese foi descartada. "Não tinham interesse em partilhar a gestão da Vivo com a PT. Senão, faziam a fusão já", ressaltou a fonte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.