Participações societárias ajudam lucro do BNDES no ano

O lucro líquido de R$ 7,9 bilhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) acumulado entre janeiro e setembro, anunciado hoje, teve forte influência do bom desempenho das participações societárias da instituição. Segundo o BNDES, houve um crescimento de 32,1% decorrente principalmente do acréscimo de R$ 1,4 bilhão (alta de 88,2%) na receita com dividendos e juros sobre o capital próprio, que totalizou R$ 3 bilhões no acumulado de nove meses de 2011. O banco também informou outro acréscimo de R$ 1,4 bilhão no resultado de equivalência patrimonial, que passou de uma perda de R$ 190 milhões em 2010 para um ganho de R$ 1,22 bilhão em 2011.

ALEXANDRE RODRIGUES, Agencia Estado

23 de novembro de 2011 | 18h47

O patrimônio líquido do BNDES somou R$ 56,4 bilhões no final do terceiro trimestre deste ano, segundo a instituição. O montante significa um patrimônio de referência de R$ 94,1 bilhões, aproximadamente 11 bilhões acima do que o banco tinha no final do ano passado. O patrimônio de referência é o indicador usado para delimitar a capacidade de financiamento do BNDES dentro de limites prudenciais. O banco não pode fazer operações que superem 25% do seu patrimônio de referência. Segundo o BNDES, o crescimento do patrimônio de referência resultou de um aumento de capital de R$ 6,4 bilhões, feito no primeiro trimestre do ano.

Os ativos totais do Sistema BNDES somaram R$ 586 bilhões em setembro deste ano, alta de 6,8% em relação ao resultado de dezembro do ano passado. Na comparação do seu capital com a carteira de crédito, o índice de adequação (Índice da Basileia) do sistema BNDES ficou em 20,5%, o que foi considerado pelo banco "uma situação confortável" em relação à exigência de 11% do Banco Central.

A inadimplência do BNDES segue entre as mais baixas do sistema financeiro nacional, com um índice de 0,12% sobre a carteira total. De acordo com o banco, a qualidade de sua carteira de crédito é demonstrada pelo fato de 99,2% do total dos empréstimos realizados estarem classificados entre os níveis de risco AA e C no final de setembro.

Considerando apenas o terceiro trimestre de 2011, o BNDES registrou um lucro líquido de R$ 2,58 bilhões, resultado que representou um aumento de 46,2% sobre igual período do ano passado. A equivalência patrimonial no período apresentou uma queda de 24,2% no resultado, correspondente a R$ 185 milhões. O desempenho se deveu à redução do lucro auferido pela BNDESpar (subsidiária de participações) em R$ 274 milhões, mas atenuado pelo aumento do lucro da Finame (agência subsidiária para financiamento de bens de capital), que teve aumento de R$ 89 milhões entre julho e setembro de 2011.

Tudo o que sabemos sobre:
BNDESbalanço

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.