Paulo Bernardo quer incluir tablet em benefício da política industrial

Dispositivos portáteis podem ter os mesmos benefícios fiscais dados a computadores pessoais e notebooks

Anne Warth, da Agência Estado,

20 de janeiro de 2011 | 19h03

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, disse nesta quinta-feira, 20, que pretende discutir com o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, a revisão da atual política industrial para dar aos tablets (dispositivos portáteis de acesso à internet com telas touchscreen) os mesmos benefícios fiscais dados a computadores pessoais e notebooks. "Eu conversei com ele ontem e ficamos de nos reunir na semana que vem para ver se como incluir a questão de comunicação e telecomunicações também nessa política", afirmou Bernardo, após proferir palestra na Campus Party, na capital paulista.

O ministro citou especificamente a inclusão dos tablets que, na avaliação dele, deveriam receber o mesmo tratamento tributário de computadores e notebooks, concedido pelo programa governamental "Computador para todos". Bernardo disse já ter sondado a indústria sobre a questão e, de acordo com ele, os empresários se mostraram animados com a ideia. "Eles disseram que, se o governo der o mesmo tratamento dado aos computadores e notebooks aos tablets, nós podemos baratear e produzir rapidamente os tablets aqui no Brasil por preços e condições muito melhores do que a que temos hoje", afirmou. "Eu sou favorável. E esse é um dos pontos que vou colocar na reunião com Pimentel para ver se avançamos."

 
Tudo o que sabemos sobre:
tabletbenefício fiscalPaulo Bernardo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.