PDVSA pode comprar ativos da BP na Venezuela, diz ministro

A estatal e o governo venezuelano têm preferência sobre a venda de ativos no setor energético do país

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

27 de setembro de 2010 | 09h28

A Venezuela concedeu aprovação para que a petroleira britânica BP negocie a venda de suas participações em projetos locais, mas disse que a companhia estatal Petroleos de Venezuela (PDVSA) pode escolher ser o comprador se houver uma venda.

"Nós precisaremos ver a proposta...A PDVSA estaria interessada" nos ativos da BP, disse Rafael Ramirez, ministro de Energia da Venezuela e presidente da companhia estatal.

Ramirez lembrou que a PDVSA e o governo venezuelano detêm o chamado direito de preferência, o que significa que eles têm primazia sobre qualquer acordo para venda de ativos no setor energético do país.

No final de julho, a BP estava em conversações para vender suas participações em projetos de exploração de petróleo na Venezuela à sua joint venture russa TNK-BP, como parte de um programa de vendas de ativos de US$ 30 bilhões designado para ajudar a empresa a cobrir os custos do vazamento de petróleo no Golfo do México.

A BP possui participação minoritária em duas joint ventures na Venezuela - a Petroperija e a Boqueron -, detidas em conjunto com a estatal PDVSA, além de ser parceira na Petromonagas. Os ativos estão avaliados em cerca de US$ 1 bilhão no total.

Não está claro se a BP continuará interessada em negociar a venda de seus ativos, se for forçada a vendê-los à PDVSA. A reputação da empresa estatal venezuelana no setor de petróleo tem sido afetada desde que o presidente Hugo Chávez assumiu o poder na Venezuela há 11 anos. As informações são da Dow Jones.

 
Tudo o que sabemos sobre:
pdvsaativosbpvenezuelaministro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.