Pearson compra fatia do SEB e triplica operação no País

A Pearson, empresa do segmento editorial e de informação digital que controla o jornal "Financial Times", comprou parte do Sistema Educacional Brasileiro (SEB) - grupo com origem em Ribeirão Preto (SP) que controla escolas e oferece sistemas de ensino. O negócio chega a quase R$ 900 milhões. Com isso, a Pearson triplica sua operação no Brasil e passa a ter o País como seu maior mercado na América Latina, à frente do México.

AE, Agencia Estado

23 de julho de 2010 | 08h16

O acordo entre as duas empresas prevê que o grupo britânico passe a ter o controle do sistema de ensino das quatro marcas que pertenciam ao SEB: COC, Pueri Domus, Dom Bosco e Name - este último voltado apenas para escolas públicas. Na prática, o sistema de ensino compreende a elaboração de material didático e serviços de assessoria para as escolas contratantes. É um modelo exclusivamente brasileiro e que vem atraindo o interesse de grandes editoras.

?O mercado editorial escolar brasileiro movimenta mais de US$ 2 bilhões por ano. É um mercado muito positivo e dinâmico, por isso o interesse em fazer parte dele?, disse Juan Romero, presidente da Pearson para a América Latina. A meta, segundo ele, é aumentar o número de alunos no sistema de ensino dos atuais 400 mil para 1 milhão em cinco anos. ?E pretendemos mais tarde exportar o modelo brasileiro para outros países?, disse Guy Gerlach, presidente da Pearson no Brasil.

A compra inclui ainda a gráfica do SEB e as operações de logística e distribuição, além do site Klick Net. Até então, a atuação da Pearson no Brasil se restringia à venda de livros universitários e material para ensino de inglês. Presente em 54 países, a empresa britânica teve um faturamento global de 5,6 bilhões de libras em 2009. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
educaçãolivrosPearsonSEBcompra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.