Pela 1? vez em 7 anos, inadimpl?ncia cai no in?cio do ano

Aumento da renda e queda dos juros ajudam a reduzir o pessimismo no mercado

Agencia Estado

18 de junho de 2007 | 09h39

Pela primeira vez desde o ano 2000, a inadimpl?ncia do consumidor com o sistema financeiro, acumulada entre janeiro e maio, caiu em rela??o aos mesmos meses do ano anterior. Esse recuo contraria o comportamento normal para esse per?odo, que ? de alta do calote. At? o m?s passado, o volume de cheques sem fundos, t?tulos protestados, d?vidas vencidas com bancos, cart?es de cr?dito e financeiras em todo o Pa?s estava 1,4% menor que em 2006, segundo o Indicador Serasa de Inadimpl?ncia. Em 2005 e 2006, as altas acumuladas nesse per?odo em rela??o ao ano anterior tinham sido de 12,6% e de 16,7%, respectivamente.A recupera??o da renda, do emprego formal, a amplia??o dos prazos de financiamento e a queda dos juros, ainda que em ritmo lento, reduziram o pessimismo que predominava no mercado financeiro, alimentado pela possibilidade de que a inadimpl?ncia poderia explodir. Hoje, ocorre exatamente o contr?rio.No primeiro trimestre, o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 4,3% ante o mesmo per?odo do ano anterior, puxado especialmente pelo consumo das fam?lias, que aumentou 6%, a maior varia??o desde o primeiro trimestre de 2001. Um dos fatores respons?veis por esse desempenho foi o cr?dito farto. Estat?sticas mais recentes do Banco Central (BC) indicam que a oferta de cr?dito para o consumidor em 12 meses cresceu 24% este ano."? uma situa??o totalmente nova", afirma o assessor econ?mico da Serasa, Carlos Henrique de Almeida. Normalmente, diz ele, a inadimpl?ncia no primeiro semestre aumenta, em raz?o das d?vidas assumidas no fim de ano, e caem no segundo semestre. Neste ano, no entanto, poder? ser diferente, com o recuo da inadimpl?ncia no primeiro semestre, como os n?meros mostram at? agora.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.