Pequenas e médias empresas lideram expansão de crédito do Bradesco

Crescimento deste tipo de carteira, de 27,5% em 12 meses, superou o das linhas para pessoas físicas (23,1%) e grandes empresas (7,6%) 

Altamiro Silva Júnior, da Agência Estado,

27 de outubro de 2010 | 08h51

Os empréstimos para micros, pequenas e médias empresas foram os destaques de crescimento na carteira de crédito do Bradesco no terceiro trimestre, com expansão de 27,5% em 12 meses, acima do crescimento das linhas para pessoas físicas, que subiram 23,1%, e para grandes empresas, com 7,6% de alta.

Na pessoa física, as linhas que mais cresceram, assim como nos trimestres anteriores, foram os financiamentos imobiliários (+37,6% em 12 meses), cartões de crédito (+55,8%), veículos (+23%) e consignando (+71%). O Bradesco destaca que o segmento aumentou participação dentro da carteira total de crédito, de 35% das operações em setembro de 2009 para 36,3% este ano.

Já na pessoa jurídica, os destaques foram as linhas de capital de giro (+18%), Finame (repasses do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, com aumento de 55,6%) e cartão de crédito (+47%).

Na carteira de crédito, considerando apenas o total destinado a financiamento ao consumo, a expansão foi de 23,6% em 12 meses e de 2,8% ante o segundo trimestre deste ano, com saldo total de R$ 73,2 bilhões. A maior parte dessa carteira (R$ 32 bilhões) são as operações de financiamento de veículos.

Os novos tomadores de operações de crédito foram responsáveis por R$ 26,2 bilhões do crescimento de R$ 36,3 bilhões da carteira de crédito do Bradesco nos últimos doze meses encerrados em setembro, ou seja, 72,3% do total.

Basileia

O Índice de Basileia do Bradesco terminou setembro em 15,7%, pouco abaixo do indicador do período anterior, que ficou em 15,9%. Na comparação anual, a queda foi de dois pontos porcentuais ante os 17,7% verificados no terceiro trimestre do ano passado. O recuo é explicado pelo aumento das operações de crédito, que subiram 18,6% em 12 meses. Apesar da queda, o índice ainda está acima do mínimo exigido pelo Banco Central, de 11%. O Basileia é um índice de solvência e mede quanto o banco pode emprestar no crédito sem comprometer seu capital (quanto maior, melhor).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.