Perda de confiança na dívida dos EUA ameaça outras nações, diz FMI

Em avaliação anual da economia norte-america, Fundo Monetário Internacional afirma que tal cenário pode criar efeitos 'universalmente grandes e negativos' no restante do mundo

Regina Cardeal, da Agência Estado,

25 de julho de 2011 | 12h48

WASHINGTON - Uma perda da confiança dos investidores nos títulos da dívida dos EUA ameaça criar efeitos "universalmente grandes e negativos" no restante do mundo, afirma o Fundo Monetário Internacional (FMI) em sua avaliação anual da economia norte-americana.

Autoridades de outros países temem que uma reavaliação das finanças do governo dos EUA nos mercados "possa levar a uma rápida deterioração das condições financeiras globais, nos fluxos de capitais e possivelmente no valor do dólar", disse o Fundo em relatório de seu staff.

Os membros do comitê executivo do FMI em geral concordam que os EUA devem começar sua reforma do Orçamento no ano fiscal que começa em outubro. Mas eles também "pedem uma postura cautelosa na desativação do suporte macroeconômico", considerando-se a fragilidade da economia dos EUA, acrescenta o relatório.

O FMI afirmou que prevê a continuidade da expansão modesta das atividades nos EUA, com crescimento ajustado à inflação de 2,5% este ano e 2,7% no próximo ano. O Fundo projeta que a taxa de desemprego do país cairá para 8,4% no próximo ano, um ritmo lento de melhora que manteria as pressões inflacionárias contidas.

O staff do Fundo disse que o lento ritmo de recuperação dos EUA "é consistente com a experiência internacional passada depois das crises nos setores de moradia e financeiro". As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
FMIdívidaEUAameaçamundo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.