Sergio Moraes/Reuters - 9/12/2019
Sergio Moraes/Reuters - 9/12/2019

Petrobras aguarda nova regulamentação para avançar na produção do diesel verde

A empresa prevê o investimento total de US$ 2,8 bilhões no fortalecimento dos negócios de baixo carbono nos próximos cinco anos

Fernanda Nunes, O Estado de S.Paulo

16 de fevereiro de 2022 | 13h42

A Petrobras aguarda a nova regulamentação do óleo diesel verde para avançar na produção do combustível de fontes renováveis, menos poluentes, segundo o diretor de refino e gás natural da empresa, Rodrigo Costa Lima e Silva. A empresa tem a intenção de se posicionar entre as mais eficientes do mundo, o que vai requerer, entre outras iniciativas, a digitalização das operações, inclusive das refinarias.

No plano estratégico para os próximos cinco anos, a empresa prevê o investimento total de US$ 2,8 bilhões no fortalecimento dos negócios de baixo carbono. O orçamento estimado para o segmento de bioprodutos é de US$ 600 milhões até 2026. Entre as inovações previstas está a preparação das refinarias Replan e RPBC, ambas em São Paulo, para coprocessar óleo de soja refinado e diesel e, assim, extrair um diesel com conteúdo renovável de 5% a 7%. Além disso, a empresa pretende ter uma planta dedicada para produzir diesel renovável e Bioqav, combustível de aviação.

A expectativa da Petrobras é que o governo, em uma nova regulamentação, reconheça o seu diesel renovável nos mandatos de adição obrigatória ao diesel fóssil. Atualmente, esse reconhecimento é restrito aos produtores de biocombustíveis, de fonte agrícola.

"Nossa estratégia é transformar o portfólio da Petrobras para integrar o refino aos ativos de exploração e produção de maior valor agregado e, assim, posicionar as refinarias da empresa entre as mais eficientes do mundo", afirmou o diretor.

Tudo o que sabemos sobre:
Petrobrásenergiacombustívelcarbono

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.